Estou desfazendo você da minha pele

novembro 05, 2017

Foto: reprodução/tumblr
Segunda-feira, 06 de Abril de 2017. O mês estava apenas começando, enquanto as coisas entre nós estavam ficando cada vez mais complicadas. Eram exatos 10:32 da manhã, quando você me ligou dizendo que precisava conversar e que passaria para me buscar na hora do almoço. Estranhei, mas pensei que tudo se resolveria, mal sabia que ali tudo terminaria. As duas horas que se passaram após sua ligação fizeram com que borboletas invadissem meu estômago e dançassem sem parar, me fazendo ficar mais ansiosa a cada segundo. E quando você chegou e abriu seu coração, senti como se fosse sufocar as borboletas.

Após nossa conversa, voltei para casa chorando e repassando todas as coisas ditas por você. Disse que foi legal me conhecer, mas que foi um grande erro insistimos nesse namoro por tanto tempo. Disse que eu sou um pouco demais para você e que não sabia lidar com toda a minha intensidade. E olha que ironia! Você que dizia amar tudo em mim, desde minhas teimosias, as minhas inseguranças. E naquele momento suas palavras me cortaram como arame farpado. E me doeu porque mesmo você me dilacerando em mil pedaços e me jogando do alto de um penhasco, eu continuava amando você, porque o amor não some assim.

E eu decidi me isolar, desativar minhas redes sociais para não me pegar te stalkeando e nem ouvindo novamente todos os áudios que tinham no meu celular, os quais me recusei a apagar. Mas tudo ao meu redor lembrava você. Você estava presente nas minhas séries favoritas, nas músicas que o rádio insistia em tocar, nas propagandas que passavam entre um vídeo e outro no Youtube e que você adorava quando eu imitava. Seu cheiro estava impregnado no meu travesseiro e em cada canto dessa casa e na minha mente. E eu não queria me desfazer de nada, no fundo tinha esperança de que você apareceria aqui na minha porta, dizendo que tudo não passou de uma brincadeira ruim.

Quinta-feira, 15 de Junho de 2017. As coisas estavam um pouco melhores e você me ligou no meio da noite como quem não queria nada, para dizer que estava com saudade e atiçar todos os meus demônios. Fazendo todos os sentimentos virem à tona. Não resisti e caí nas suas graças, sorri. Quando dei por mim já estava sentada no banco do carona do seu carro em frente aquela pracinha que sempre íamos quando queríamos conversar. Mas dessa vez foi diferente, você estava calado demais e o silêncio gritava em minha mente. Você bem sabia em como o silêncio me incomodava. Nós dois estávamos ali, sentados, numa rua deserta, em silêncio, e o nosso amor era apenas um fantasma. Você só queria arruinar minha mente antes de colocar um ponto final em tudo.

Você não pode sumir e depois voltar como se tudo estivesse bem, se para você eu parecia estar bem, que ótimo. Se você não se arrependeu das palavras ditas não venha me procurar porque quer manter um bom relacionamento entre nós. Seu tempo acabou, amor! Estou pulando fora. Eu decidi partir! No fundo eu já sabia, você já tinha ido embora há muito tempo, muito antes de mim. Mas houve esse tempo em que me mantive presa a qualquer vestígio reminiscente. Em que mantive você fixo aqui dentro. Do meu coração, pensamentos e esperanças. Mas uma hora a gente tem que engolir as decepções e seguir o baile. Se eu era um fardo para você, melhor recuar, tirar meu time de campo e deixar o jogo seguir. Eu irei buscar minhas coisas na sua casa e sair de vez da sua vida, mas não agora, ainda não tenho forças o suficiente para entrar lá e ser bombardeada com as lembranças de tudo que vivemos.

Sábado, 24 de Setembro de 2017. Ainda sinto você aqui de vez em quando. Como um viciado em heroína que está em abstinência,  mas vou arrumar uma forma de ficar sem você. Eu tomei algumas doses de amor próprio e descobri que eu me importo comigo mesma na mesma intensidade que me preocupava contigo. E não há melhor maneira de me curar do que amando a mim mesma. Tropecei muitas vezes em mim, nas minhas inseguranças e em meus medos, mas foi assim que descobri que eu posso ser tempestade, mas também sei ser calmaria e me recuso a deixar o caos tomar conta de mim.

Você cometeu o erro de dançar na minha tempestade e eu errei em escolher você para ser meu par. Alguém que não tinha o mínimo de preparo suficiente para aguentar minhas crises. Mas pode ir, estou desfazendo você da minha pele, te deixo livre para fazer novas escolhas e encontrar um novo amor. Quero que você se encontre, antes de encontra - lo. Não esquece de dizer para ela que você odeia praia e é alérgico a frutos do mar. E nem repita os erros que você cometeu em outros relacionamentos. Mesmo você indo antes de mim não guardo rancor e não me arrependo de ter compartilhado momentos da minha vida contigo.

Não sei em que momento nos perdemos um do outro, mas quero que a gente se reencontre, mesmo que seja no peito de outra pessoa.






  • Share:

You Might Also Like

1 comentários

  1. oiê!

    wow! que tenso! se o relato do texto foi real ou não, só quero dizer uma coisa: que surra de palavras e maturidade tu deu. não sei se agiria dessa forma, pq sou bem trouxão. mas as quedas da vida ensina, né? pra chegar ao ponto de abrir mão de quem a gente tanto ama, é necessário muito conhecimento de si mesmo e força. <3

    espero que tudo fique bem por aí. infelizmente, a dor continuará por um tempo. porém, a dor tbm nos ajuda a crescer e nos mostra que, no fim, somos foda! ;)

    bjs!
    Não me venha com desculpas

    ResponderExcluir